segunda-feira, 25 de maio de 2009

Simone Cit - Pedro e o choro

.

Faz uns dias que aconteceu o lançamento aqui em Curitiba.


A idéia da profª Simone Cit partiu da obra de Prokofiev - Pedro e o lobo. Uma fábula musical, na qual cada personagem da história corresponde ao som de um instrumento da orquestra. O menino Pedro parte à caça do lobo que aterroriza a aldeia, seguido e ajudado por alguns dos animais da fazenda. A obra musical com orquestra e narrador vem sendo usada como importante ferramenta pedagógica para colocar as crianças em contato com o mundo dos sons da orquestra.

Simone Cit fez uma paródia, onde o lobo foi substituído pelo Animal. O jovem Pedro, ao invés de habitante das estepes eurasiáticas, agora é um jovem suburbano do Brasil. O Animal da história é uma referência ao apelido de Alexandre Gonçalves Pinto, autor de Reminescências de chorões antigos, livro publicado no início do século XX, e que até agora continua uma das principais fontes para conhecer o mundo do choro da virada dos séculos XIX e XX.

Tendo a idéia da paródia, o passo seguinte foi a pesquisa de repertório. Encontrar obras clássicas do repertório do choro que fizessem referência a animais. Definido o repertório, Simone Cit construiu uma nova história, em que Pedro escuta sobre o Animal, imagina um monstro terrível, segue em sua busca sempre ajudado por um grupo crescente de bichos que se agregam ao grupo, e termina por descobrir que Animal era apenas o apelido do carteiro, também músico de choro.

Cada animalzinho da história toca um instrumento musical. E corresponde a uma das obras do repertório selecionado. A história é ilustrada por Freekje Veld. A narração e as vozes cantadas infantis são gravadas por crianças de Curitiba. Os choros são reconstituídos pelos fabulosos arranjos de Roberto Gnattali, produzindo e dirigindo o trabalho de músicos que dispensam apresentação, entre eles: Andrea Ernst Dias (flautim), Naomi Kunamoto (flauta), Luis Carlos Justi (oboé), Aloysio Fagerlande (fagote), Oscar Bolão (percussão), Maria Teresa Madeira (piano), Jayme Vignoli (cavaquinho).

A edição é da autora, com patrocínio da Petrobras. A obra se destina ao trabalho dos professores da rede regular de ensino, parte de um projeto maior que a autora vem desenvolvendo, destinado a produzir material didático para apoiar o uso da música popular brasileira como ferramenta educacional. Neste sentido, foi também o outro projeto semelhante da autora: Histórias da música popular brasileira para crianças. Ambos os livros são ilustrados e acompanhados de CD com as gravações.

O lançamento em Curitiba foi no Beto Batata.


Estiveram presentes alguns dos que participaram nas gravações:



O repertório que compõe Pedro e o choro é:

Amigo Pedro (Radamés Gnattali)
Gatinhos no piano (Radamés Gnattali)
Tico-tico no fubá (Zequinha de Abreu)
Marreco quer água (Pixinguinha)
Relógio da vovó (Garoto)
A ronda do Animal (Roberto Gnattali)
Pé-ante-pé (Radamés Gnattali)
Urubu malandro (anônimo)
O vôo da mosca (Jacob do Bandolim)
Camundongo (Waldir Azevedo)
Aí morcego! (Irineu de Almeida)
Pula sapo (Pixinguinha)
Menina da bicicleta (Simone Cit)
Jorrando sem parar (Hermeto Pascoal)
Marcha dos caçadores (João de Barro "Braguinha")

De certa forma, a história parodia também outras histórias musicais infantis, como Os músicos de Brehmen, e a história da festa no céu, na qual o sapo entra escondido dentro do violão.

Algumas das músicas listadas acima foram compostas ou readaptadas especialmente para este projeto, caso das composições de Roberto Gnattali, da própria Simone Cit, e de Hermeto Pascoal que atendeu à encomenda especial da autora.


As fotos do dia do lançamento foram tiradas pela Maris, a quem agradeço.

O contato da autora, para encomenda de livros é materiadesom@yahoo.com.br

O material já esta sendo trabalhado em um projeto da FAP (onde Simone é professora) no Universidade sem Fronteiras, capacitando professores da rede pública de ensino para o uso do material.

.

5 comentários:

Tuco Egg disse...

Vc sabe que eu trabalhei com um redator chamado Sérgio Prokoviev que, segundo a lenda, é bisneto (ou tataraneto, não lembro) do Sergei Prokoviev, o original?

E, por acaso, não é esse o livrinho que vc ia descolar pra mim? :-)

Ricardo Cabral disse...

Interessantíssimo o livro, André, e melhor ainda por fazer parte de tão belo projeto. Aliás, qual o teu papel nele?

Abs

André Egg disse...

ô Ricardo,

este projeto ainda vai dar o que falar. É bom pra caramba.

Sou colega de Departamento aqui da Simone Cit, e estou junto na equipe do Universidade Sem Fronteiras. Estamos montando junto com alunos bolsistas o programa para treinar professores da rede pública, para fazer um uso interdisciplinar deste material, que pode trabalhar questões de história, relações de gênero, identidade, conflitos étnicos, relação entre cultura de elite e cultura popular, entre outras coisas.

O Canto da Guegué disse...

Meu Deus! Que maravilha! Como podemos adiquirir?

O Canto da Guegué disse...

Que fantástico! Como podemos adquirir?