sábado, 13 de junho de 2009

Sobre a polícia na USP

.

Todo mundo já deve ter ouvido a notícia.

Tinha uma greve de funcionários na USP.

Aliás, as greves são uma constante lá. O governo do Estado e a reitoria não dialogam com os funcionários. Da última vez houve inclusive uma ocupação da reitoria por mais de 40 dias. Contra uma iniciativa de Serra para cercear a autonomia universitária (na gestão dos recursos).

Essa de agora inclusive era para reivindicar a readimissão de funcionários injustamente demitidos.

A reitoria pediu polícia no campus (coisa que não tinha feito da outra vez, pelo que foi muito criticada por certos setores).

Quando a polícia montou guarda no campus, alunos e professores aderiram ao movimento que antes era apenas de um grupelho de funcionários. Os alunos fizeram uma passeata exigindo que a polícia saísse do campus.

O governo mandou a tropa de chocque. A tropa de choque bateu nos alunos, jogou bombas de gás, perseguiu-os até o prédio de História. Cercou o prédio, não permitiu que ninguém saísse ou entrasse, enquanto continuava o bombardeio e o espancamento. Inclusive de quem não tinha nada a ver com a manifestação.

---

Deve ter gente que acha justificável a ação da polícia.

---

Uma dançarina de boate fazendo estrepitise no altar de uma catedral.

Não é um escândalo? Uma violação? Um sacrilégio?

Tanto quanto colocar a tropa de choque dentro de uma universidade.

E não é uma universidade qualquer.

A USP é a primeira e maior universidade brasileira.

A Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH - ou "fefeléch") surgiu dos departamentos fundados por professores franceses que aqui começaram suas carreiras acadêmicas, entre eles Lévy-Strauss e Braudel. A primeira geração de professores brasileiros incluiu gente como Florestan Fernandes e Antônio Cândido.

O prédio de História, onde a polícia bombardeou, é onde trabalham intelectuais como Boris Fausto, Carlos Guilherme Mota, Nicolau Sevcenko, Lilia Moricz Schwartz, Laura de Mello Souza, entre outros.

Entende o que quero dizer?

Um templo sagrado do saber.

Lugar que deveria estar preservado da presença violenta da tropa de choque.

Que o governador esteja disposto a sucatear este espaço de saber, achatar os salários, dificultar as condições de trabalho e recusar-se a negociar com grevistas é até compreensível. Mas que extrapole tudo isso para mandar a tropa de choque é inaceitável. Nem os governos militares chegaram a tanto.

---

Uma atitude que precisa de repúdio veemente da sociedade.

Sociedade que já repudiava os excessos dos grevistas, mas que agora torna-se solidária com eles diante da truculência injustificável.

Muitos blogs já deram recado semelhante.

Recomendo:


A USP invadida pela PM
(no blog do Guaciara)

Um tweet que virou charge (no Digestivo cultural)




José Serra e Suely Vilela enviam PM contra estudantes e professores (no efeito Joule)

Urgente! Polícia de José Serra espancando e bombardeando estudantes na USP (no Biscoito Fino e a Massa)




Crise na USP. Um estado sem liderança (no blog do Luis Nassif)

A irresponsabilidade de se mandar a polícia a um campus universitário (no blog do Tulio Vianna)

O professor e a PM paulista (no blog do Luis Carlos Azenha)



Deve ter muito mais coisa por aí.

---

Este post vai ficar aqui na primeira página por uns tempos, pra ninguém esquecer tão rápido disso...

.

7 comentários:

EAD/JOYCE disse...

Olha, Amigo. Vc tem toda a minha solidariedade. Isso tudo p/ mim é como um filme que já assisti.Sou de outro tempo, qd entrei na universidade tinha 17 anos, mas conheci gente que desapareceu, tirados de sala de aula, outros que ninguém mais viu e até meu marido foi perseguido por tropas a cavalo. Me admira o José serra, que foi perseguido pelos militares, se prestar a esse papel. È muito triste, A educação devia ter tudo do melhor, pessoal, salários, estrutura. Use a força dos blogs, vc tem essa opção.

André Egg disse...

Obrigado Joyce,

acho que todos precisamos juntar forças contra esse obscurantismo.

Herval Junior disse...

André , tomei a liberdade de colocar seu texto com a devida referência em meu blog, diante da gravidade do fato,ok?
Se quiser complementar , fique à vontade.
Abraço!

Herval Junior disse...

Esqueci de te mandar o link
http://blogdojuniorcampos.blogspot.com/2009/06/jose-serra-e-assim.html

André Egg disse...

Oi Herval,

agradeço a visita, o comentário e a repercussão.

Obrigado também por citar a fonte lá.

Tuco Egg disse...

Que loucura. E eu, plantando agapantus nas barrancas do meu quintal, nem soube de nada.

André Egg disse...

E pensar que é onde eu estudo. Dependendo do acaso eu podia estar lá, sendo bombardeado...